Poesia - expressividade oral

O ensino da poesia e a expressividade oral

31/03/2010 Aparecida Vaz Primo*

A origem da poesia se confunde com a origem da própria linguagem. Ela é a forma especial de linguagem que transmite emoções, e também uma das mais antigas formas literárias que se caracteriza pela linguagem sugestiva, conotativa, metafórica, figurada e criativa. A poesia é importante para manter a língua viva e vigorosa.
Há muitas maneiras de ensinar poesia, mas quando o ensino visa a expressividade oral o professor precisa demonstrar entusiasmo, ser sensível ao conteúdo do texto poético, mexer com o emocional do aluno, ser um porta-voz da mensagem do poeta. Para motivar o aluno não basta a indicação de um texto poético. É necessário que ele se sinta fascinado pelas várias situações de leitura criadas pelo professor que o leva a identificar as imagens e metáforas, e a descobrir o que elas representam no texto.
É preciso resgatar o corpo e a voz para resgatar também a poesia em sala de aula. Por isso, as atividades devem despertar sensorialmente para a leitura e audição de poemas: atividades de representação mímica e de experimentação de sonoridade de palavras e de instrumentos. Atividades para desenvolver a entonação, timbre de voz, gestos fisionômicos, corporais e postura, cooperando para a formação de um todo expressivo. Os gestos, voz e suas inflexões e a fisionomia devem regular-se de modo a completar adequadamente o que a pessoa deseja dizer.
Diante dos poemas o aluno deve reagir, questionar e apreciar com criticidade. Na hora da criação do poema é preciso concentração, recolhimento, iluminação, motivação de ordem interior e exterior e cumplicidade. Nesta hora, o professor deve ajudar o aluno a transmitir ideias e sensações utilizando os valores sonoros e o poder sugestivo das palavras combinadas entre si. O aluno deve estar preocupado com o ritmo do poema, com a sonoridade das palavras no contexto da ideia. O tema precisa ser desenvolvido de forma original, nova e impactante.
O ensino da poesia quando realizado de maneira viva e atraente representa um dos meios eficazes para a perfeita educação da linguagem, pois o pensamento só se completa e adquire clareza e precisão quando objetivado pela expressão oral. Primeiro, porque o contato com as palavras numa linguagem literária, com rima, versos e musicalidade incentiva a desenvoltura e a expressividade oral. Depois, porque a poesia revela sensibilidade e está ligada ao desenvolvimento da criatividade e da compreensão da linguagem. Além disso, através da poesia o aluno aprende a reconhecer, compreender e dar significado às palavras. O vocabulário enriquece, pois o aluno aprende novas expressões no contexto em que elas devem ser usadas.
Nossos alunos têm um bloqueio com relação ao ato de escrever, expressam-se mal, mas se os professores desenvolverem todas as atividades citadas estarão estimulando o resgate da poesia e da expressividade oral na escola. Esse é um dos objetivos do Plano de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Estado de Educação do Paraná.

* Aparecida Vaz Primo é professora em Londrina

Máteria publicada no Jornal de Londrina em 31/03/2010

Nenhum comentário:

Mantenedores do Blog:

Cachone - Ivan Petrovitch - Jorge Roberto Gonsalves - Rabinoo - Paladino - John Play - Kátia Midori - Antunes Savas - Umberto Bogart - Ernesto Kramer - Carmelo Zapala Giufrida - Paulo Menten - Fabio Evans - Gilmar Buki - Sergio Paulo Costa